premiados

Premiados do 11° Fest Aruanda

TV UNIVERSITÁRIA
REPORTAGEM:
3×4: Doença periodontal em pessoas com Síndrome de Down, de Guilherme Bacciotti; Nico Stolzel; Paula Marques; Vitor Oshiro. TV USP Bauru
DOCUMENTÁRIO:
Marca-dos, de Flávia Martelli. TV Unaerp
INTERPROGRAMA:
Cena Potiguar, de Rosália Figueirêdo. TV UFRN
PROGRAMA DE TV:
Os profissionais, de Wllyssys Wolfgang. TV Mackenzie
MENÇÃO HONROSA PARA:
Maria Bonita: Um retrato da Violência Sexual contra a Mulher em Campina Grande, de Thamires Tamares e Ana Cláudia Cavalcante.
Pelo tema atual, relevante e pela iniciativa louvável em abordar um assunto sociocultural de caráter preponderante e necessário neste momento.
CURTAS:
Melhor Som – Gian Orsini, por ‘Cumieira’
Melhor Trilha Sonora – Fernando Aranha, por ‘Lá do Alto’
Melhor Direção de Arte – Lana Benigno, por ‘O Homem que virou armário’
Melhor Montagem – Marcelo Coutinho, por ‘Cumieira’
Melhor Roteiro – Marcelo Ikeda, por ‘O Homem que virou armário’
Melhor Fotografia – Luis Barbosa, por ‘Stanley’
Melhor Ator – Matheus Nachtergaele, por ‘Quando parei de me preocupar com Canalhas’
Melhor Atriz – Andréia Pires, por ‘O Homem que virou armário’
Melhor Direção – (além do Troféu Aruanda, ganha um DCP e um voucher de acesso a plataforma Looke) – Luciano Vidigal por ‘Lá do Alto’
Melhor Curta Paraibano – ‘Cumieira’, de Diego Benevides
Melhor curta segundo o júri Abraccine – ‘Quando parei de me preocupar com canalhas’, de Tiago Vieira
Melhor curta segundo o júri popular – ‘Quando Parei de me Preocupar com Canalhas’, de Tiago Vieira
Melhor curta do festival (além do Troféu Aruanda, o melhor curta ganha também R$ 6 mil em serviços de pós produção com a produtora Mistika, dois DCP e um voucher de acesso a plataforma Looke, e mais R$ 2 mil do Prêmio BNB) – ‘Quando parei de me preocupar com Canalhas’, de Tiago Vieira
Menção Honrosa para ‘Xavier’, de Ricky Mastro – Pela relevância do tema abordado, de forma sutil e eficiente, e a forma como conduziu o elenco.
LONGAS:
Melhor Som – Yan Saldanha, por ‘Canastra Suja’
Melhor Trilha Sonora –Roger Henri, por ‘Silêncio no Estúdio’
Melhor Direção de Arte – Renata Pinheiro, por ‘Deserto’
Melhor Montagem – Vinicius Nascimento, por ‘Silêncio no Estúdio’
Melhor Fotografia – Rui Poças, por ‘Deserto’
Melhor Roteiro – Caio Soh, por ‘Canastra Suja’
Melhor Ator Coadjuvante – Pedro Nercessian, por ‘Canastra Suja’
Melhor Atriz Coadjuvante – Maria Manoella, por ‘Vermelho Russo’
Melhor Ator – Marco Ricca, por ‘Canastra Suja’
Melhor Atriz – Sueli Franco, por ‘Era o Hotel Cambridge’
Melhor Direção (além do Troféu Aruanda também vai ganhar dois DCP e dois vouchers de acesso a plataforma Looke – Leandra Leal, por ‘Divinas Divas’
Melhor Longa segundo o Júri Abraccine – ‘Era o Hotel Cambridge’, de Eliane Caffé
Melhor Longa segundo o Júri Popular – ‘Divinas Divas’, de Leandra Leal
Melhor Longa segundo o júri oficial (além do Troféu Aruanda ganha, R$ 20 mil em serviços de pós produção com a produtora Mistika, três DCP e dois vouchers de acesso a plataforma Looke) – ‘Era o Hotel Cambridge’, de Eliane Caffé

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *