Blog

Notícias
07 dezembro 2017

“Antes do Fim” é o grande vencedor do Fest Aruanda

|
Por
|
0 Comment
|

A 12ª edição do Fest Aruanda chegou ao fim ontem à noite com a premiação dos vencedores da mostra competitiva. Foram 33 troféus voltados para curtas, longas e produções de TV Universitária, além dos prêmios de júri popular e da Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine).

Antes do Fim, de Cristiano Burlan, levou o grande prêmio de Melhor Filme.  Já o longa-metragem mais premiado foi Legalize Já!, de Johnny Araújo e Gustavo Bonafé, que acumulou cinco troféus (júri popular, ator, fotografia, roteiro e figurino). O curta paraibano Atrito também recebeu cinco premiações (ator, atriz, diretor, curta paraibano e júri Abraccine).

TV Universitária

Documentário: O amor tem gênero?, de Flávia Martelli, TV Unaerp

Programa de TV: Programa 3×4, de Guilherme Bacciotti, Nico Stolzel, Paula Marques, Vitor Oshiro da TV USP Bauru

Reportagem: Tela Rural – Bibliotecas Rurais, de Érica Lima da TVU-RN

Interprograma: Cena Potiguar – Civone Medeiros, de Rosália Figueiredo, da TVU UFRN

Júri Abraccine

Melhor Curta: Atrito, de Diego Lima

Melhor longa: Abaixo a gravidade, de Edgard Navarro

24312449_1537379983016291_8859197484952765179_n

Curtas

Melhor direção de arte – A Rua das Casas Surdas, de Gabriel Mayer e Flávio Costa

Melhor Figurino – Escolhas, de Ivan Willig

Prêmio especial do Júri de Curta de Animação: “A Peleja do Sertão”, de Fábio Miranda

JUSTITIFICATIVA: Pela criatividade, singeleza e pelo empenho na construção de uma narrativa nessa modalidade cinematográfica, o Júri oficial do 12º Fest Aruanda concede o prêmio especial de curta de animação ao filme “A Peleja do Sertão”, de Fábio Miranda.

Melhor Roteiro – A Rua das Casas Surdas, de Gabriel Mayer e Flávio Costa

Melhor Som – Tentei, de Laís Mello

Melhor Edição – O Brado Retumbante, de Fábio Rogério e Marcelo Ikeda

Melhor Fotografia – Inocentes, de Douglas Soares

Melhor Trilha Sonora – Inocentes

Melhor Ator – Felipe Espíndola, por “Atrito”

Melhor Atriz – Suzy Lopes, por “Atrito”

Melhor Curta do Júri Popular: DEUS, de Vinícius Silva (São Paulo)

Melhor Diretor – Diego Lima, por “Atrito”.

Melhor Curta – Inocentes

Melhor Curta Paraibano: Atrito, de Diego Lima

Longas

Melhor Edição: Torquato – Todas As Horas do Fim, de Eduardo Ades e Marcus Fernando

Melhor Figurino: Legalize Já, de Johnny Araújo e Gustavo Bonafé

Melhor Fotografia: Legalize Já

Melhor Roteiro – Legalize Já

Melhor trilha sonora – Torquato – Todas As Horas do Fim

Melhor som – Pela Janela, de Caroline Leone

Melhor direção de arte: Abaixo a Gravidade, de Edgard Navarro

Melhor ator coadjuvante – Cacá Amaral, por “Pela Janela”

Melhor atriz coadjuvante – Isabel Zuaá, por “O Nó do Diabo”

Melhor ator – Renato Góes, por “Legalize Já”

Melhor atriz – Magali Biff, pelo filme “Pela Janela”

Prêmio Especial do Júri de Melhor Documentário: Torquato – Todas As Horas do Fim

JUSTIFICATIVA DO JÚRI: Pelo primor da construção narrativa, a singularidade na representação da memória e da figura humana focalizada, pela evocação e potência simbólica e afetiva, que perpassa e amplifica os sentidos da obra, o Júri resolve conceder o Prêmio Especial de Melhor Longa de documentário para o filme “Todas As Horas do Fim”, de Eduardo Ades e Marcus Fernando.

Prêmio Especial de iniciativa dramatúrgica cinematográfica para o longa-metragem paraibano O Nó do Diabo

JUSTIFICATIVA DO JÚRI: Pela inventividade, o esforço criativo e a mobilização para realizar cinema de gênero, pelo exercício de estilo na narrativa audiovisual, com o entrecruzamento de linguagens e propostas estéticas, o Júri concede o Prêmio Especial de inciativa dramatúrgica cinematográfica ao filme “O Nó do Diabo”, de Ian Abé, Gabriel Martins, Jhésus Tribuzi e Ramon Porto Mota

Prêmio Especial para o ator Ramon Vane, pelo filme “Abaixo a Gravidade” – In Memorian

JUSTIFICATIVA DO JÚRI: Pela singular habilidade dramática na composição da personagem, transmitindo uma autenticidade quase orgânica, pela capacidade de gerar empatia e correspondência imediatas em quem assiste e ter, assim, um papel de relevância na construção da obra, o Júri concede o Prêmio Especial para o ator Ramon Vane, pelo filme “Abaixo a Gravidade” – In Memoriam

Melhor Longa-Metragem Júri Popular: Legalize Já!, de Johnny Araújo e Gustavo Bonafé

Melhor Direção: Cristiano Burlan, pelo filme Antes do Fim

Melhor Filme: Antes do Fim, de Cristiano Burlan

|

Deixe um Comentário

WordPress Video Lightbox